top of page

Alergias: doenças intimamente relacionadas ao câncer




Abstrato

As alergias são reações de hipersensibilidade que ocorrem por meio de mecanismos imunológicos específicos do tipo Th2 caracterizados por diferentes mediadores solúveis, bem como por células específicas do sistema imune. Nas últimas décadas, surgiram evidências relacionando essa doença com o desenvolvimento do câncer. No entanto, a maioria dos resultados dos estudos epidemiológicos tem sido controversa e contraditória. Existem basicamente duas tendências. Enquanto a primeira indica que as alergias podem reduzir o risco de câncer, a outra indica que podem aumentar esse risco. A primeira tendência pode ser explicada pela hipótese da imunovigilância, que afirma que o aumento da vigilância imune após a hiperresponsividade imune pode inibir ou exercer um efeito protetor contra o desenvolvimento do câncer.

De forma similar, a hipótese da profilaxia sugere que os efeitos físicos dos sintomas alérgicos podem prevenir o câncer pela remoção de carcinógenos potenciais. Em contraste, a hipótese oposta propõe que há um desvio da resposta imune para Th2, que favorece o desenvolvimento do câncer, ou que o processo de inflamação crônica favorece a geração de mutações e, portanto, o desenvolvimento do câncer. Com o objetivo de entender mais sobre essas duas hipóteses, os principais fatores solúveis e celulares das doenças alérgicas que poderiam estar desempenhando um papel fundamental no desenvolvimento ou inibição do câncer foram considerados nesta revisão.


Palavras-chave: Alergias; Alergo-oncologia; Alergias; AlergoOncologia; Câncer; Câncer; IgE; Mastócitos; Mastócitos; TGF-β.

Copyright © 2016 Hospital Infantil de México Federico Gómez. Publicado por Masson Doyma México SA Todos os direitos reservados.



35 visualizações0 comentário
Banner-Sidebar-Residencia-402x1024.jpg
Banner-Sidebar-Revalida-402x1024.jpg
Banner-Sidebar-Atualizacao-402x1024.jpg
MedFlix Zaza.png
bottom of page