top of page

Conceito, diagnóstico e tratamento da febre reumática



01 Qual a etiologia da febre reumática (fr)?

a febre reumática é causada pelo streptococcus β- hemolítico do grupo a lancefield. 02 Quais infecções podem desencadear a fr?

somente a amigdalite pode desencadear febre reumática. glomerulonefrite não desencadeia febre reumática.


03 Quando suspeitar de fr?

em crianças, principalmente na faixa etária entre 3 e 15 anos, que apre- sentem artrite aguda, migratória, após episódio de amigdalite. 04 Quais os critérios de jones para o diagnóstico de fr?

recentemente os critérios de jones foram atualizados, com pequena dife- renciação para os critérios entre países de maior e menor risco para fr. o brasil encontra-se no grupo de maior risco. para o diagnóstico, continua a necessidade de 2 critérios maiores ou 1 maior e 2 menores na presença de evidência de infecção pelo estreptococo.



05 Qual a diferença de artrite e artralgia?

artralgia é somente a dor articular. artrite é a presença de derrame articular ou a presença de dois dos seguintes sintomas: dor, limitação de movimento ou calor local. 06 Quais os fatores de risco para a fr?

na realidade os fatores de risco são socioambientais: pobreza, desnutrição, promiscuidade e dificuldade de acesso ao sistema de saúde. 07 Qualquer pessoa pode ter fr?

não, para desenvolver fr é necessário que o indivíduo tenha predisposição genética para a fr (brasil: hla dr7 e hla dr16) e que tenha contato com cepa reumatogênica (m1,3,5,6,14,18,19,24,27 e 29). 08 O que significa mimetismo molecular?

mimetismo molecular é o fenômeno que ocorre no organismo humano devido à semelhança entre as estruturas dos indivíduos e dos componentes bacterianos. quando o organismo para se defender produz anticorpos contra a bactéria, devido a semelhança estrutural, acaba lesando estruturas do próprio corpo.

09 Associe os componentes bacterianos com o local acometido

10 Quanto tempo após a amigdalite o paciente pode desenvolver a fr?

fr pode ocorrer num período de 7 a 21 dias após a amigdalite. 11 Qual o acometimento mais comum da fr?

artrite, geralmente com padrão migratório. porém, com a facilidade de acesso ao sistema de saúde e a anti-inflamatórios, muitas vezes o paciente chega ao atendimento médico precocemente, antes que a artrite possa desenvolver o caráter migratório, e já em uso do anti-inflamatório que alivia e mesmo aborta a artrite. por isso, na última revisão dos critérios de jones, a simples presença de artrite monoarticular ou poliartralgia já são considerados como critério maior. 12 Qual a duração da artrite?

a artrite é aguda, apresentando duração de 2 a 5 dias em cada articulação, com uma duração média total de 2 a 3 semanas. por isso, crianças com queixa de artralgia crônica e recorrente, com anos de evolução devem ter o diagnóstico de fr revisado. 13 Como tratar o quadro articular?

a artrite da fr é aguda e não erosiva, isso significa que regride completa- mente sem deixar sequelas. o uso de aine simples, como naproxeno (10 a 20 mg/kg/dia), ibuprofeno (30 a 40 mg/kg/dia) ou aas ( 80 a 100 mg/kg/dia). 14 Qual o acometimento cardíaco mais frequente?

o acometimento cardíaco mais frequente é dos folhetos valvares: mitral> mitral-aórtico> aórtico> tricúspide, sendo o principal a estenose mitral.

15 Quando suspeitar de cardite? a cardite da fr pode ser subclínica e passar de forma assintomática, por isso a avaliação com eco está indicada para a investigação de todo paciente suspeito de fr. chamam a atenção para a possibilidade de cardite a presença dos seguin- tes achados ao exame físico: presença de sopro, anteriormente inexistente, ou mudança das características de sopro, se previamente existente; taquicardia, dor precordial, aumento de área cardíaca, alteração de repo- larização. 16 Como tratar a cardite?

  • duração de 2 a 3 meses;

  • prednisona:

  • 1 a 2 mg/kg/dia, por 1 mês, após, fazer redução gradual até a suspen- são;

  • pulsoterapia;

  • casos de cardite grave;

  • metilprednisolona 30 mg/kg/dia, por 3 dias.

17 Quais as características da coreia da fr? a coreia de sydeham predomina no sexo feminino, piora com stress e me- lhora durante o sono. é o único acometimento que pode ocorrer de forma isolada, meses após a infecção pelo estreptococo e, por isso, pode já não haver evidência da infecção ou outros sintomas associados, sendo difícil o diagnóstico de fr. assim, na exclusão de outras causas de coreia, deve-se realizar o tratamento da coreia de sydeham e iniciar profilaxia secundária. 18 Como tratar a coreia da fr? duração em torno de 3 meses;

  • haloperidol:

1 - 2 mg/dia, podendo aumentar até 5 mg/dia.

  • ácido valproico:

20 - 40 mg/kg/dia, de 12 em 12 horas.

  • clorpromazina:

1 - 3 mg/kg/dia. 19 Existe algum exame laboratorial que faça o diagnóstico de fr?

não existe exame laboratorial que faça o diagnóstico de fr. o diagnóstico é baseado nos critérios de jones. 20 Qual o papel do aslo?

o aslo (antiestreptolisina- o) é um anticorpo que indica contato do pa- ciente com o estreptococo. 21 Quais exames indicam que o paciente teve infecção pelo estreptococo?

  • cultura de orofaringe na infecção;

  • teste rápido positivo;

  • aslo;

  • antidnase b;

  • anti-hialuronidase;

  • antiestreptoquinase.


22 Por quanto tempo o aslo pode permanecer positivo? o aslo pode permanecer positivo por meses, sendo difícil definir com uma dosagem se aquela infecção é recente ou é marca imunológica de infecção pregressa. por isso, na dúvida, deve-se repetir a dosagem do aslo em período de 4 a 6 semanas, quando ele atinge o pico. se a infecção for recente, na segunda dosagem esse valor deverá estar aumentado. 23 Qual estrutura anatomopatológica é patognomônica de cardite reumática?

nódulos de aschoff no coração com miócitos de anitschkow é patogno- mônico de cardite reumática. 24 Quais as características do eritema marginatum?

são lesões maculares ou papulares, que podem ser confluentes, com as- pecto serpiginoso. não pruriginoso. transitórias e recidivantes. ocorrem em tronco e região proximal de membros, poupando face. está associado a cardite.

25 Quais a características dos nódulos subcutâneos?

são nódulos autolimitados que acontecem em fase tardia da doença. in- dolores, móveis, diversos tamanhos, superfície extensora de articulações, couro cabeludo e apófise vertebral. a pele sobre nódulos não tem alteração de coloração. estão associados com cardite grave.

26 Quais as alterações laboratoriais esperadas em paciente com fr?

os pacientes devem ter hemograma com série vermelha sem alterações, podendo apresentar leucocitose e/ou plaquetose associados à alteração inflamatórias. devendo ter também aumento de provas de fase aguda, como vhs, pcr, α – 2- globulina e α- 1-glicoproteína ácida. 27 Quais os principais diagnósticos diferenciais da artrite da fr?

  • artrite séptica;

  • doenças autoimunes: aij, les;

  • artropatia viral;

  • artropatia reativa;

  • doença de lyme;

  • anemia falciforme;

  • linfoma ou leucemia;

  • gota ou pseudogota;

  • artrite pós-estreptococica;

  • vasculite por iga (púrpura de henoch schoenlein)

28 Quais os principais diagnósticos diferenciais de cardite?

  • regurgitação mitral fisiológica;

  • prolapso mitral;

  • fibroelastoma;

  • doença congênita da válvula mitral;

  • doença congênita da válvula aórtica;

  • miocardiopatia;

  • endocardite;

  • miocardite;

  • doença de kawasaki.

29 Quais os principais diagnósticos diferenciais da coreia de sydeham?

  • intoxicação por drogas;

  • doença de wilson;

  • distúrbios tipo tics;

  • paralisia cerebral coreoatetoide;

  • encefalite;

  • coreia familiar;

  • neoplasia;

  • doença de lyme;

  • distúrbio hormonal;

  • distúrbio metabólico;

  • saf;

  • les;

  • vasculites;

  • sarcoidose.

30 Como deve ser realizada a profilaxia secundária da fr?

a medicação de escolha é a penicilina benzatina, que deve ser aplicada de 21 em 21 dias, 600.000 ui im para menos de 25 kg e 1.200.000ui im para mais de 25 kg. 31 Quais as opções de antibiótico para profilaxia para pacientes que não podem usar a penicilina benzatina?

pacientes com distúrbios hemorrágicos: penicilina v oral (250 mg, 2 vezes/dia, diário); pacientes alérgicos à penicilina: eritromicina (250 mg, 2x/dia) ou sul- fadiazina (500 mg para < 30 kg e 1 g > 30 kg, 1x/dia).

32 Por quanto tempo deve ser mantida a profilaxia secundária?


33 Quais as características da artrite pós- estreptocócica?

trata-se da artrite que ocorre uma semana após a infecção causada por estreptococo. embora o período de latência seja mais curto, a duração da artrite é mais prolongada. não migratória, podendo acometer grandes e pequenas articulações e, inclusive, enteses. tem pouca melhora com ai- nes. como também pode cursar com cardite, deve ser realizada a profilaxia por um ano nos pacientes que não apresentaram comprometimento cardía- co inicial.

34 Como proceder quando o diagnóstico de fr é incerto?

na incerteza do diagnóstico deve-se considerar a profilaxia secundária por 12 meses, incluir uma reavaliação cuidadosa da história e do exame físico, além de repetir um eco.

em paciente com sintomas articulares recorrentes, aderentes à profilaxia, sem evidência de infecção estreptocócica e sem cardite ao eco, deve-se suspender o antibiótico profilático e reavaliar o diagnóstico.

165 visualizações0 comentário
Banner-Sidebar-Residencia-402x1024.jpg
Banner-Sidebar-Revalida-402x1024.jpg
Banner-Sidebar-Atualizacao-402x1024.jpg
MedFlix Zaza.png
bottom of page