top of page

Intoxicação exógena: principal causa e manifestações clínicas

Atualizado: 13 de abr. de 2023



1. Qual a principal causa de intoxicação exógena?


Não intencional por fármacos.






2. Quais as vias de exposição à substância exógena?


Oral, inalatória e cutânea.



3. Quais fatores influenciam a dose absorvida da substância exposta?


Duração da exposição e concentração da substância.






4. O que deve ser investigado em um paciente com intoxicação exógena?


Fatores ambientais (trabalho e lazer) e exposições ocupacionais.



5. Qual odor pode sugerir uma intoxicação por organofosforado?


Odor forte de alho.



6. O odor de corda queimada sugere intoxicação por qual substância exógena?


Maconha.



7. Em um quadro de metahemoglobinemia espera-se encontrar qual coloração de pele?


Azulada.







8. Em uma intoxicação por paracetamol (acetaminofeno) espera-se encontrar qual coloração de pele?


Icterícia.



9. Qual substância é a principal causa de delírio em uma intoxicação exógena?


Álcool etílico.



10. Qual característica clínica é comum num quadro de intoxicação por cáusticos?


Lacrimejamento.



11. A avaliação clínica do paciente com intoxicação exógena deve se concentrar, principalmente, em quais sistemas do organismo?


Sistema nervoso central, sistema cardiovascular, sistema respiratório e alterações cutâneas.



12. Em uma apresentação clínica com crise convulsiva, deve-se atentar para a possibilidade de qual desfecho após o tratamento do quadro?


Hipoglicemia.



13. Quais síndromes clínicas devem ser investigadas em um paciente com intoxicação exógena?


Síndrome sedativo-hipnótica, síndrome serotoninérgica, síndrome colinérgica, síndrome simpaticomimética, síndrome anticolinérgica.



14. Qual aspecto pupilar espera-se em uma intoxicação por fentanil?


Miose.



15. Qual a tríade clínica da síndrome serotoninérgica?


Alteração do estado mental, disfunção autonômica e alteração neuromuscular.






16. As manifestações clínicas da síndrome colinérgica decorrem das ações de quais receptores?


Receptores muscarínicos e nicotínicos.






17. Quais sinais clínicos são esperados em uma síndrome colinérgica pela atuação dos receptores muscarínicos?


Salivação, sudorese, vômito, diarreia, bradicardia, miose, secreção brônquica, sibilos, incontinência urinária.



18. Uma intoxicação exógena por organofosforados desencadeia que tipo de síndrome clínica?


Síndrome colinérgica.



19. Quais características clínicas permitem o diagnóstico diferencial entre a síndrome colinérgica e a adrenérgica?


Síndrome anticolinérgica cursa com pele seca e rosada, enquanto a síndrome adrenérgica cursa com diaforese e palidez.






20. Em qual situação é indicada a indução diarreica no manejo de um paciente com intoxicação exógena?


Tratamento da constipação intestinal, por complicação do uso de carvão ativado.



21. Em condições que o esvaziamento gástrico esteja reduzido, a lavagem gástrica pode ser realizada em qual intervalo de tempo após a ingestão da substância?


Até 4 horas.



22. Quais as contraindicações da realização de uma lavagem gástrica?


Base e ácidos fortes; hidrocarbonetos (gasolina, querosene, diesel); corrosivos (soda cáustica).



23. Quais substâncias não são adsorvidas pelo carvão ativado?


Li, K+, ácidos, Fe++, Pb e hidrocarbonetos.



24. Em qual faixa etária está contraindicado o uso do carvão ativado?


Crianças menores de 6 meses de idade.



25. Qual substância adsorvente é indicada para quadros de hipercalemia?


Resina permutadora de íons.



26. Em qual contexto clínico de intoxicação a hemodiálise é indicada como primeira linha de tratamento?


Intoxicação por etilenoglicol e metanol, acompanhado de acidose ou sintomas visuais.



27. Qual substância é administrada para reverter um quadro de metemoglobinemia?


Azul de metileno.






28. Qual antídoto é administrado em uma intoxicação por clonazepam?


Flumazenil.



29. Em situações de intoxicação por benzodiazepínicos em que o estado de sonolência volta a instalar-se mesmo após a administração inicial do antídoto, qual conduta deve ser tomada?


Pode-se recorrer à administração do antídoto por bomba de infusão IV em solução glicosada a 5% ou de cloreto de sódio a 0,9%, administrando 0,1 mg a 0,4 mg/h.



30. Qual o tratamento preconizado em uma intoxicação por monóxido de carbono?


Interromper fonte de contaminação, ventilação (ambu), dosagem da carboxihemoglobina se possível e oxigenoterapia (normo ou hiperbárico).






31. Quais métodos preventivos são preconizados para evitar uma intoxicação por carbamatos?


Educação continuada do uso de inseticidas, herbicidas, raticidas, principalmente para indivíduos de nível socioeconômico menor ou residentes de área rural.



32. Qual critério é utilizado para diminuir gradativamente a dose da atropina no tratamento específico da intoxicação por carbamatos?


Redução da hipersecreção brônquica.



33. Qual o tratamento específico em situações clínicas onde não é possível se diferenciar uma intoxicação específica por organofosforados de uma intoxicação por carbamatos?


Atropina e pralidoxima.



34. Qual substância deve ser administrada para reverter uma intoxicação por acetaminofen?


N-acetilcisteína.






35. Quais as fases clínicas de uma intoxicação por acetaminofen?


Fase 1 (2-14h; presença de náuseas e vômitos), fase 2 (24-48h; melhora clínica com elevação das enzimas hepáticas), fase 3 (72-120h; insuficiência hepática, encefalopatia, coagulopatia e icterícia), fase 4 (7-8 dias; recuperação).






36. Qual antídoto é indicado numa intoxicação opioide por atuar nos três tipos de receptores?


Naloxona.






37. Qual tipo de contenção deve ser feita em uma situação de intoxicação por cocaína?


Contenção química (benzodiazepínicos).



38. Quais são as fases de uma intoxicação por cocaína?


Fase 1 (estimulação precoce); fase 2 (estimulação avançada); fase 3 (depressão estado – “premorbid state”).






39. Qual padrão de osmolaridade urinária e osmolalidade sérica espera-se encontrar em um quadro de intoxicação por ecstasy?


Osmolaridade urinária aumentada e osmolalidade sérica diminuída.




40. Qual é o protocolo de coma utilizado no tratamento de intoxicação por heroína?


Naloxona (5 minutos), glicose e tiamina.

347 visualizações0 comentário
Banner-Sidebar-Residencia-402x1024.jpg
Banner-Sidebar-Revalida-402x1024.jpg
Banner-Sidebar-Atualizacao-402x1024.jpg
MedFlix Zaza.png
bottom of page