top of page

Mapeamento da potência da cannabis em programas médicos e recreativos nos Estados Unidos


Mapeamento da potência da cannabis em programas médicos e recreativos nos Estados Unidos

Abstrato

As pesquisas on-line relacionadas à cannabis estão associadas a atitudes positivas em relação à cannabis medicinal, principalmente quando as informações são obtidas em dispensários. Como a dor é a principal razão para o uso medicinal de cannabis, as informações dos sites dos dispensários têm o potencial de moldar a atitude dos pacientes com dor em relação à cannabis. Isso é relevante porque a cannabis demonstrou eficácia na dor neuropática com baixas concentrações de tetrahidrocanabinol (THC) (< 5-10%), em contraste com a cannabis potente (> 15% THC), que é altamente recompensada no campo recreativo.


O papel do CBD na dor não é claro, mas ganhou popularidade. Assim, levantamos a hipótese de que a potência da cannabis medicinal anunciada online é semelhante à cannabis anunciada para fins recreativos, o que potencialmente criaria um equívoco em relação à cannabis medicinal. A atual falta de conhecimento sobre as potências anunciadas no mercado legal de cannabis limita a capacidade de gerar políticas claras em relação à publicidade online para proteger os pacientes que desejam usar cannabis para sua condição. Assim, avaliamos o conteúdo anunciado de THC e CBD de produtos de cannabis oferecidos on-line em dispensários nos Estados Unidos para determinar a adequação dos produtos ao uso medicinal e comparar a força dos produtos oferecidos em programas médicos e recreativos legais.


Registramos as concentrações de THC e CBD para todos os produtos de maconha fornecidos por sites de dispensários e os comparamos entre ou dentro dos estados. Quatro estados ocidentais (CA, CO, NM, WA) e cinco estados do Nordeste (ME, MA, NH, RI, VT) foram incluídos. Um total de 8, Foram amostrados 505 produtos de cannabis em 653 dispensários. Apesar das claras diferenças entre os usos medicinal e recreativo da cannabis, a concentração média de THC anunciada online em programas medicinais foi semelhante (19,2% ±6,2) aos programas recreativos (21,5% ±6,0) quando comparados entre estados com diferentes programas, ou entre medicinais e programas recreativos dentro dos mesmos estados (CO ou WA). Concentrações mais baixas de CBD acompanharam produtos de THC mais altos. A maioria dos produtos, independentemente de programas medicinais ou recreativos, foi anunciada com >15% de THC (70,3% - 91,4% dos produtos).


Estas concentrações declaradas parecem inadequadas para fins medicinais, particularmente para pacientes com dor neuropática crônica. Portanto, esta informação pode induzir ao equívoco de que a cannabis de alta potência é segura para tratar a dor. Esses dados são consistentes com relatórios em que THC e CBD em produtos de dispensários legais ou em produtos nacionais do mercado ilegal foram realmente medidos, o que indica que os pacientes que consomem esses produtos podem estar em risco de intoxicação aguda ou efeitos colaterais a longo prazo. Nosso estudo oferece bases para desenvolver políticas que ajudem a prevenir equívocos em relação à cannabis e reduzir os riscos em pacientes com dor.



4 visualizações0 comentário
Banner-Sidebar-Residencia-402x1024.jpg
Banner-Sidebar-Revalida-402x1024.jpg
Banner-Sidebar-Atualizacao-402x1024.jpg
MedFlix Zaza.png
bottom of page