top of page

Suplementação de selênio para pacientes com hipertireoidismo de Graves (o ensaio GRASS)




Fundo: O hipertireoidismo de Graves é uma doença autoimune que causa hiperfunção da glândula tireóide. A concentração de selênio é alta na glândula tireoide e dois grupos importantes de enzimas dentro da tireoide são as selenoproteínas, ou seja, dependem do selênio. O selênio pode ter efeitos benéficos no hipotireoidismo autoimune e na orbitopatia de Graves, mas os efeitos do selênio no hipertireoidismo de Graves são desconhecidos. Nossa hipótese é que o selênio adjuvante pode ser benéfico no tratamento do hipertireoidismo de Graves. O objetivo é investigar se a suplementação de selênio mais o tratamento padrão com medicamentos antitireoidianos versus o tratamento padrão com medicamentos antitireoidianos levará a uma diminuição na falha do tratamento com medicamentos antitireoidianos (isto é, falha em permanecer eutireoidiano, sem tratamento adicional, um ano após a interrupção do tratamento com medicamentos antitireoidianos), remissão mais rápida e duradoura (ou seja, sucesso do tratamento com medicamentos antitireoidianos) e melhora da qualidade de vida em pacientes com hipertireoidismo de Graves.


Métodos e design: O ensaio é um ensaio clínico multicêntrico, randomizado, cego e iniciado pelo investigador. Os critérios de inclusão são: idade igual ou superior a 18 anos; diagnóstico de hipertireoidismo de Graves ativo nos últimos dois meses; e consentimento informado. Os critérios de exclusão são comorbidades importantes; tratamento prévio com iodo radioativo; tratamento contínuo com medicamentos antitireoidianos por mais de dois meses; tratamento com drogas imunomoduladoras; alergia conhecida aos componentes das pílulas de selênio e placebo; gravidez ou amamentação; e ingestão de suplementação de selênio acima de 70 μg por dia. Planejamos incluir 492 participantes, randomizados (1: 1) para dois comprimidos de 100 μg de selênio uma vez ao dia durante o período de intervenção de 24 a 30 meses versus dois comprimidos de placebo idênticos uma vez ao dia. O desfecho primário é a proporção de participantes com falha no tratamento com medicamentos antitireoidianos (veja acima) no final do período de intervenção (24 a 30 meses). Os desfechos secundários são: qualidade de vida específica da tireoide durante o primeiro ano após a randomização; nível de anticorpos do receptor do hormônio estimulador da tireoide em 18 meses após a randomização e no final do período de intervenção (24 a 30 meses); sintomas de hipertireoidismo durante o primeiro ano após a randomização; sintomas oculares durante o primeiro ano após a randomização e no final do período de intervenção (24 a 30 meses); reações adversas durante o período de intervenção; e eventos adversos graves durante o período de intervenção.


Discussão: Era de grande importância para os iniciadores deste ensaio, que os resultados fossem diretamente aplicáveis ​​à prática clínica diária. Portanto, foi desenhado como um ensaio pragmático: os pacientes seguem seu tratamento usual em seus hospitais habituais. A fim de ainda coletar dados de alta qualidade sobre o curso clínico e a qualidade de vida, um elaborado sistema de gerenciamento de estudos foi projetado para controlar a entrada do paciente, a necessidade de entrada e ação do pessoal do estudo e coletar dados de sistemas de prontuários médicos. O acompanhamento meticuloso das respostas ausentes às medições de QV foi incorporado ao sistema para minimizar a perda de dados de qualidade de vida. O monitoramento de reações e eventos adversos é alcançado por meio de instruções completas dos participantes, vigilância dos resultados relatados pelo paciente, e integração com bases de dados nacionais de internações. Foi necessário um período de intervenção muito longo, uma vez que os pacientes não são considerados em remissão até um ano após a suspensão dos medicamentos antitireoidianos. Normalmente, os pacientes são tratados por 12 a 18 meses com medicamentos antitireoidianos, resultando em um período total de intervenção de 24 a 30 meses.


Watt T, Cramon P, Bjorner JB, Bonnema SJ, Feldt-Rasmussen U, Gluud C, Gram J, Hansen JL, Hegedüs L, Knudsen N, Bach-Mortensen P, Nolsøe R, Nygaard B, Pociot F, Skoog M, Winkel P, Rasmussen AK. Selenium supplementation for patients with Graves' hyperthyroidism (the GRASS trial): study protocol for a randomized controlled trial. Trials. 2013 Apr 30;14:119. doi: 10.1186/1745-6215-14-119. PMID: 23782950; PMCID: PMC3748826.


40 visualizações0 comentário
Banner-Sidebar-Residencia-402x1024.jpg
Banner-Sidebar-Revalida-402x1024.jpg
Banner-Sidebar-Atualizacao-402x1024.jpg
MedFlix Zaza.png
bottom of page