top of page

Volume de transfusão para crianças com anemia grave na África




Antecedentes: A anemia grave (nível de hemoglobina, <6 g por decilitro) é a principal causa de admissão hospitalar e morte em crianças na África Subsaariana. A Organização Mundial da Saúde recomenda a transfusão de 20 ml de equivalente de sangue total por quilograma de peso corporal para anemia, independentemente do nível de hemoglobina.


Métodos: Neste ensaio fatorial aberto, designamos aleatoriamente crianças de Uganda e Malawi de 2 meses a 12 anos de idade com um nível de hemoglobina de menos de 6 g por decilitro e características de gravidade (por exemplo, dificuldade respiratória ou consciência reduzida) para receber transfusão de sangue imediata com 20 ml por quilograma ou 30 ml por quilograma. Três outras análises randomizadas investigaram imediata em comparação com nenhuma transfusão imediata, a administração de micronutrientes pós-alta e profilaxia pós-alta com sulfametoxazol-trimetoprima. O desfecho primário foi a mortalidade em 28 dias.


Resultados: Um total de 3196 crianças elegíveis (idade mediana, 37 meses; 2050 [64,1%] com malária) foram designados para receber uma transfusão de 30 ml por quilograma (1598 crianças) ou 20 ml por quilograma (1598 crianças) e foram acompanhados por 180 dias. Um total de 1.592 crianças (99,6%) no grupo de maior volume e 1596 (99,9%) no grupo de menor volume iniciaram a transfusão (mediana, 1,2 horas após a randomização). O volume médio (± DP) de sangue total transfundido por criança foi de 475 ± 385 ml e 353 ± 348 ml, respectivamente; 197 crianças (12,3%) e 300 crianças (18,8%) nos respectivos grupos receberam transfusões adicionais. No geral, 55 crianças (3,4%) no grupo de alto volume e 72 (4,5%) no grupo de baixo volume morreram antes de 28 dias (razão de risco, 0,76; intervalo de confiança de 95% [IC], 0,54 a 1,08; P = 0,12 por teste de log-rank). Este achado mascarou uma heterogeneidade significativa na mortalidade de 28 dias de acordo com a presença ou ausência de febre (> 37,5 ° C) na triagem (P = 0,001 após a correção de Sidak). Entre as 1943 crianças (60,8%) sem febre, a mortalidade foi menor com um volume de transfusão de 30 ml por quilograma do que com um volume de 20 ml por quilograma (razão de risco, 0,43; IC 95%, 0,27 a 0,69). Entre as 1.253 crianças (39,2%) com febre, a mortalidade foi maior com 30 ml por quilograma do que com 20 ml por quilograma (razão de risco, 1,91; IC de 95%, 1,04 a 3,49). Não houve evidência de diferenças entre os grupos randomizados em readmissões, eventos adversos graves ou recuperação da hemoglobina em 180 dias.


Conclusões: A mortalidade geral não diferiu entre as duas estratégias de transfusão. (Financiado pelo Conselho de Pesquisa Médica e Departamento para Desenvolvimento Internacional, Reino Unido; número TRACT Current Controlled Trials, ISRCTN84086586.).


Maitland K, Olupot-Olupot P, Kiguli S, Chagaluka G, Alaroker F, Opoka RO, Mpoya A, Engoru C, Nteziyaremye J, Mallewa M, Kennedy N, Nakuya M, Namayanja C, Kayaga J, Uyoga S, Kyeyune Byabazaire D, M'baya B, Wabwire B, Frost G, Bates I, Evans JA, Williams TN, Saramago Goncalves P, George EC, Gibb DM, Walker AS; TRACT Group. Transfusion Volume for Children with Severe Anemia in Africa. N Engl J Med. 2019 Aug 1;381(5):420-431. doi: 10.1056/NEJMoa1900100. PMID: 31365800.


0 visualização0 comentário
Banner-Sidebar-Residencia-402x1024.jpg
Banner-Sidebar-Revalida-402x1024.jpg
Banner-Sidebar-Atualizacao-402x1024.jpg
MedFlix Zaza.png
bottom of page