top of page

Visão geral dos distúrbios vasculares do fígado



disturbios vasculares do figado esboço


O fígado tem duplo suplemento sanguíneo. A veia porta (que é rica em nutrientes e relativamente rica em oxigênio) provê cerca de dois terços do suprimento sanguíneo para o fígado. A artéria hepática (rica em oxigênio) promove o suprimento restante. As veias hepáticas fazem a drenagem hepática para a veia cava inferior. Quando o fluxo sanguíneo da veia porta aumenta, há diminuição do fluxo pela artéria hepática e vice-versa (resposta de acomodação arterial hepática). Esse suprimento sanguíneo duplo e reciprocamente compensatório fornece alguma proteção contra a isquemia hepática em pessoas saudáveis.

Suprimento sanguíneo do fígado

Apesar desse duplo suprimento sanguíneo, o fígado, um órgão metabolicamente ativo, pode sofrer lesões por


  • Isquemia

  • Drenagem venosa insuficiente

  • Lesões vasculares específicas


Isquemia resulta de redução no fluxo sanguíneo, fornecimento de oxigênio reduzido, aumento da atividade metabólica ou todos os 3. Isquemia difusa pode provocar hepatite isquêmica; isquemia focal pode causar infarto hepático ou colangiopatia isquêmica. Infarto hepático resulta de distúrbios da artéria hepática.


Drenagem venosa insuficiente pode resultar de obstrução focal ou difusa ou de insuficiência cardíaca direita, como na hepatopatia congestiva. Pode ocorrer obstrução nas veias intra-hepáticas ou extra-hepáticas (síndrome de Budd-Chiari) ou nas vênulas terminais intra-hepáticas e sinusoides hepáticos (síndrome de obstrução sinusoidal, previamente chamada de doença veno-oclusiva), mas frequentemente ocorre em ambas. Cirrose é a causa mais comum de obstrução do fluxo venoso intra-hepático difuso. Obstrução difusa resulta em congestão dos sinusoides, hepatomegalia, hipertensão portal, redução do fluxo sanguíneo portal, ascite e esplenomegalia. Manifestações de obstrução focal dependem da localização.


Lesões vasculares específicas podem ocorrer na artéria hepática, veia hepática ou veia porta. A artéria hepática pode estar ocluída. Raramente, aneurismas se desenvolvem. Na peliose hepática, espaços císticos cheios de sangue se desenvolvem nos sinusoides (anastomoses microvasculares entre veias porta e hepática).

Distúrbios da veia hepática pode resultar em obstrução venosa focal ou difusa.

Quase todos os distúrbios da veia porta causam obstrução do fluxo portal e hipertensão portal. A obstrução pode ser


  • Extra-hepática — trombose da veia porta em estados de hipercoagulabilidade, uma lesão na parede dos vasos (p. ex., pileflebite e onfalite), lesões em órgãos adjacentes (p. ex., pancreatite, tumores) ou atresia congênita de veia porta.

  • Intra-hepática — p. ex., obstrução microvascular portal como ocorre na esquistossomose, colangite biliar primária (colangite biliar primária, antigamente chamada cirrose biliar primária), sarcoidose e hipertensão portal não cirrótica.


suprimento sanguineo do figado

Por

, MD, University of Colorado School of Medicine

Avaliado clinicamente jan 2022

52 visualizações0 comentário
Banner-Sidebar-Residencia-402x1024.jpg
Banner-Sidebar-Revalida-402x1024.jpg
Banner-Sidebar-Atualizacao-402x1024.jpg
MedFlix Zaza.png
bottom of page